wholesale nfl jerseys
authentic cheap nfl jerseys

[Resenha/Crítica]: La La Land – Cantando Estações – Crítica 2

lala

La La Land não é um musical, é uma declaração de amor à boa música.

O que é boa música? Jazz ou axé? Eletrônica ou samba? Blues ou funk? Rock ou sertanejo? Lírica ou popular? A resposta é simples. Não existe melhor música ou melhor estilo de música. Existe o repertório que mais se adequa à pessoa e isso depende de fatores sociais e psicológicos. Eu amo um estilo e odeio outro, já você pode odiar uma música que eu amo e amar outra que detesto. Assim caminha a humanidade. O filme La La Land – Cantando Estações mostra o amor de um homem pela música, ou melhor, pelo jazz. Pra ele, o jazz vibra de forma diferente, está a um patamar acima das outras músicas. Faz vivê-lo melhor. É um amor individual. Ele tá certo. Ou pode estar errado para tantas outras pessoas. Não importa. O que importa é a relação dele com o jazz. E você também pode sentir o mesmo amor por música, por filme, por livro…

lala3Em poucas palavras, eis o roteiro de La La Land: Músico encontra mulher que sonha em ser atriz. Os dois se amam. Os dois querem construir carreiras. Os dois caminham com a arte. É só isso. E o que faz esse filme ser tão bom e ser tão cativante com tão pouco? A direção brilhante de Damien Chazelle. Ele está apenas no seu terceiro filme e é nítido como tem domínio perfeito da situação. Damien é um apaixonado pela música. Em Whiplash – Em Busca da Perfeição – vimos um baterista que fez de tudo para ser o melhor, com um maestro “carrasco”. Tudo no filme beirava a perfeição e tínhamos a presença de J.K. Simmons como nunca vimos. Já em La La Land a coisa é mais agridoce. Doce como uma bela canção e amargo como a vida real pode ser. Aqui, estamos embalados no romance, mas a música continua sendo a estrela principal, tanto que, na primeira cena, já causa alvoroço com o virtuosismo a que somos apresentados. Num engarrafamento, pessoas saem de seus carros e começam a cantar e a dançar. Aquilo cresce. Aquilo contagia. Que plano-sequência foi aquele?  O filme pode se tornar uma grande homenagem aos tempos áureos do cinema musical de Hollywood, mas não se enganem, “La La Land não é um musical”. No musical, a sequência em que pessoas cantam e dançam predomina na história, o que não é o caso de La La Land. Isso poderá desapontar os amantes por musicais e fará a alegria dos detratores desse estilo. Funciona como um “quase musical” ou um filme em que “pessoas dançam e cantam”. Mas esses números são os mais lindos já vistos. Eles nos prendem pela simplicidade da coreografia e pela pouca voz ouvida, mas com muita emoção envolvida e vontade de “quero mais”. É como se em casa começássemos a dançar e a voar num lindo acorde, que nos transporta para um mundo encantado. Isso dá muito certo em La La Land. A gente acredita no que está vendo. Mas a vida real é mais tensa e nada fácil. Por isso, o floreio musical tem a sua dureza de alma, mas que encanta enquanto sonhamos com aquele momento. La La Land é um filme vibrante, feito com amor e para o amor, mesmo não sendo musical. Que venham mais “musicais”, como La La Land.

Os protagonistas Ryan Gosling (Dois Caras Legais) e Emma Stone (Homem Irracional) estão perfeitos no papel. Ela sonhadora, mas com um pezinho no chão (ou no ar), contida e carismática. Ele, determinado. Acredita em um mundo melhor com a boa música, mesmo que precise abdicar de outros amores. É incrível como ele muda o tom de interpretação várias vezes no filme, ora singelo e sereno, ora o oposto, com pitadas de sarcasmo. Ryan Gosling saiu ganhando nessa.

Damien Chazelle, o dono de La La Land, é um jovem diretor que acabou de passar pelos 30 anos, está apenas começando e já tem essa bagagem toda. Parece um diretor “velho de estrada”. Ele sabe o que quer mostrar. Ele inova sem ser chato. Ele encanta sem ser “delicadinho”. Ele agrada público e crítica, com a mesma intensidade, com roteiros simples, mas nada simplórios. Imagina quando tiver com 50, 60, 70 anos… Já que em seus filmes a determinação é personagem constante, acreditemos que Damien seja um dos maiores realizadores que possa ter aparecido na arte do cinema. Que os deuses do cinema nos ouçam!

Nota do CD:

[Rating: 4.5/5]

Sinopse:Mia (Emma Stone), uma aspirante a atriz, serve cafés para estrelas de cinema entre audições enquanto Sebastian (Ryan Gosling), um pianista de jazz, ganha a vida tocando em festas e bares. Quando suas carreiras finalmente começam a ascender, eles precisam tomar decisões que podem ameaçar seu relacionamento.

TRAILER:

FICHA TÉCNICA:
Título no Brasil: La La Land – Cantando Estações
Título Original: La La Land
Ano Lançamento: 2016
Gênero: Comédia / Drama / Musical
País de Origem: EUA
Duração: 128 minutos
Direção: Damien Chazelle
Estreia no Brasil: 19/01/2017
Estúdio/Distribuição: Paris Filmes
Elenco: Ryan Gosling, Emma Stone, J.K. Simmons, Callie Hernandez, Jessica Rothe, Sonoya Mizuno, Rosemarie DeWitt, Finn Wittrock e John Legend.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Categoria: Comédia, Detalhando, Drama, Em Cartaz, Musical, Resenhas de Filmes, Vavá Pereira

Sobre o autor ()

Um publicitário que ama os filmes desde que nasceu. De Closer a O Senhor dos Anéis, de Uma Linda Mulher a O Poderoso Chefão. Sim, eu amo Julia Roberts! Gosto de quem gosta dos filmes que gosto, mas gosto mais ainda de quem não gosta, pois uma boa discussão não faz mal a ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ideas Kids Halloween Party
Nfl Gifts - A Suitable Gifting Idea For Nfl Fans
Football Jerseys Hunt
Best Christmas Gifts For Football Fanatics
Game Preview: Rochester Vs Washington
Sports Gifts For Teenage Girls
Types Of Basketball Jerseys
How To Maintain Your Hockey Jerseys Clean
Tips Of Methods To Discover Bargain Nfl Jerseys
Double Dose Of Winter Sports
cheap jerseys
wholesale jerseys
cheap nfl jerseys
wholesale jerseys
cheap nba jerseys
wholesale nba jerseys
nba jerseys cheap
cheap jerseys