cheap jerseys| wholesale jerseys| Cheap Jerseys Hot Sale For World Cup| Cheap NFL Jerseys Supply, Wholesale Jerseys China Free Shippi| Cheap authentic jerseys,Wholesale jerseys Quality Cheap Jerseys| Cheap China Jerseys From China Wholesale NFL Jerseys Free Shipping| Wholesale NFL Nike Jerseys Free Shipping For Sale Cheap | cheap jerseys from china:wholesale jerseys free shipping| Cheap China Jerseys From China Wholesale NFL Jerseys Free Shipping| NFL Jerseys China: Authentic Quality Cheap Jerseys

Cercas

capa

Cercas é uma peça teatral, escrita por August Wilson, que fez muito sucesso, em 1983, em solos americanos e que em 2010 rendeu a Denzel Washington, que foi responsável por uma nova adaptação, o prêmio Tony, que na comparação seria o Oscar do mundo do teatro. Com tanto sucesso nos palcos, o ator decidiu arriscar-se em seu terceiro projeto por trás das câmeras e apresenta agora uma bela adaptação da obra, que conta com a manutenção da maioria do elenco da peça, mas ganha o incrível reforço de Viola Davis, que mais uma vez prova ser uma dar maiores atrizes de sua geração e que merecidamente irá ganhar o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante deste ano e, caso isso não ocorra, será uma grande injustiça da academia.

A trama se passa em meados dos anos cinquenta, quando o espectador é apresentado a Troy Maxson, um homem de origem humilde, sem escolaridade e com passagem pela prisão, que trabalha duro todos os dias como catador de lixo para sustentar a sua família. Ele carrega consigo frustrações de uma vida dura e o peso de não ter conseguido se tornar um jogador de basebol profissional. Suas experiências lhe tornaram um homem de pulso forte, com decisões firmes e de difícil negociação e assim que ele, de certa forma, rege a rotina de sua casa, lidando com sua esposa Rose Maxson, seus dois filhos e seu irmão, que retornou da guerra com sequelas incuráveis.

Os primeiros quinze minutos de projeção causam uma certa estranheza ao espectador, há todo um excesso verborrágico no processo de apresentação do protagonista e a não mudança de cenário impacta diretamente na recepção da película como um todo. Passado esse tempo, Cercas vai ganhando melhor organização, os excessos são reduzidos, as atuações crescem e consequentemente o filme vai se tornando interessante à medida que vai apresentando suas tramas e aprofundando o relacionamento entre os personagens e o espectador.

Denzel Washington está incrível no seu trabalho, extremamente seguro quanto ao roteiro, esbanjando carisma quando necessário e esbanjando firmeza quando preciso. Cercas é um dos melhores trabalhos da carreira do ator, que será indicado ao Oscar neste ano. Seu personagem consegue ao mesmo tempo cativar e afastar o espectador, seu riso, seu divertimento conquista e sua dureza afasta. É impressionante a competência do ator neste quesito. Seu trabalho de direção também merece ser mencionado, aproveitando com detalhes seu elenco e se preocupando em fazê-los brilhar. Todos os personagens possuem seus momentos e alguma cena de impacto. isso é louvável.

Viola Davis é um monstro, a atriz parece sumida, esquecida durante quase metade do filme, mas em seu ato final dá uma aula de interpretação, mostra a que veio e emociona o público. Um simples olhar ou uma simples escorrida de lágrimas fala mais do que qualquer texto que tenha sito escrito para ela. Há uma reviravolta no filme que proporciona sua ascensão e a partir deste momento o espectador já está tão conectado com a produção, que não consegue mais desviar o olhar. Curioso que no ano passado ela tenha feito um prenunciamento, durante o movimento #Oscarsowhite, pedindo uma oportunidade na carreira e que os negros ganhassem mais oportunidades em Hollywood. Agora ela desponta como favorita unânime para a premiação.

Cercas se destaca essencialmente pela grande entrega de sua dupla de atores, mas é um filme interessante, com bons aspectos técnicos trabalhados como a impecável direção de arte e uma belíssima fotografia. O roteiro apela para a análise da família como um todo, mostrando as complicações para criação dos filhos, as frustrações em relacionamentos passados, as escolhas erradas que se tomam, mas também trata sobre a discriminação social perante os negros e a retrata muito bem na relação entre o pai frustado, que acredita não ter tido a oportunidade de brilhar no mundo esportivo por sua cor, e seu filho que segue os seus passos em busca de se tornar um jogador de futebol americano.

Nota do CD:
[Rating: 4/5]

Sinopse: Depois de passar a sua vida nutrindo um sonho de infância, se tornar um jogador de beisebol famoso, um homem acaba frustrado ao se ver como catador de lixo. A história é baseada na peça de teatro homonima.

Trailer do Filme:

Ficha Técnica:
Gênero: Drama
Direção: Denzel Washington
Roteiro: August Wilson
Elenco: Benjamin Donlow, Cara Clark, Cecily Lewis, Chris McCail, Christopher Mele, Denzel Washington, Dontez James, Joe Fishel, John W. Iwanonkiw, Joshua Tronoski, Jovan Adepo, Kristie Galloway, Mark Falvo, Mykelti Williamson, Russell Hornsby, Saniyya Sidney, Stephen Henderson, Toussaint Raphael Abessolo, Tra’Waan Coles, Viola Davis
Produção: Denzel Washington, Scott Rudin, Todd Black
Fotografia: Charlotte Bruus Christensen
Montador: Hughes Winborne
Ano: 2016
País: Estados Unidos
Cor: Colorido
Estúdio: MACRO / Paramount Pictures / Scott Rudin Productions

Categoria: Drama, Resenhas de Filmes, Tiago Britto

Sobre o autor ()

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *