wholesale nfl jerseys
authentic cheap nfl jerseys

[Resenha/Crítica]: Doutor Estranho

doutorestranho

Dr. Estranho” entra em cartaz com a missão de apresentar o mundo místico e ainda não explorado, devidamente, pela Marvel. Por se tratar de uma obra de origem, o longa despende muito tempo introduzindo os personagens e os desenvolvendo no universo em que estão inseridos, porém, ainda assim, sem nenhum alarde, em seus cinco primeiros minutos de projeção, já lança à tona o teor mágico e encantador que os fatos irão se desenrolar pelas, quase, duas horas de projeção.

Nesse ambiente está presente a figura do Doutor Stephen Strange, um exímio profissional, que considera sua reputação como prioridade de sua existência, chegando, até mesmo, a recusar pacientes, que considerava incuráveis e agindo com soberba e ar de superioridade. Sua arrogância é tanta, que ele se envolve em um acidente por dirigir em alta velocidade, enquanto debatia sobre procedimentos médicos.

A consequência do acidente foi a perda dos movimentos das mãos, o que para um médico cirurgião significa o fim da carreira. Persistente, ele investe todo o seu dinheiro em diversos procedimentos, que não apresentam grandes evoluções. Tudo muda, quando ele acaba sabendo que uma pessoa, com problemas similares, conseguiu reverter o quadro através de um tratamento não convencional realizado em Catmandu, no Nepal, e decide dar a sua última cartada indo para lá.

Por mais que seja ambientada num mundo inexistente é com muita tranquilidade que o espectador aceita o que é apresentado em “Dr. Estranho”. As dúvidas quanto ao que está sendo demonstrado são tiradas através dos conflitos internos do próprio protagonista e com, muita naturalidade, o mundo da magia é expandido pelo roteiro. Além disso, os efeitos especiais são hipnotizantes e auxiliam no processo de aceitação do que está sendo mostrado. A direção sonora, também favorece no impacto causado pelos efeitos e enriquecem a experiência de quem assiste. A fotografia promove cena lindas e marcantes e, sem dúvidas, um dos momentos mais bonitos que já pode-se ver nas adaptações da Marvel.

Benedict Cumberbatch (Álbum de Família, 12 Anos de Escravidão) está muito confortável no papel do mago, sendo capaz de transmitir ao espectador a sensação de que ele já o conhece a muito mais tempo do que o apresentado. Seu trabalho ratifica as ações do personagem, levando a ser crível, que um médico seja capaz de comprar a ideia de adentrar em um mundo sobrenatural para resolver uma questão pessoal. A Anciã, muito bem interpretada por Tilda Swinton (Amantes Passageiros, Precisamos Falar Sobre o Kevin) rouba para si diversos momentos, tornando sua personagem carismática, ao mesmo tempo que estranha e divertida. Mads Mikkelsen (A Caça, 007 – Cassino Royale) consegue impor a carga necessária para fazer com que o vilão Kaecilius, mesmo com pouco tempo investido em seu desenvolvimento, apresente e torne entendível suas motivações e que, este, não passa de mais um peão de manobra para algo maior, que iminentemente irá emergir.

Somado a todas essas qualidades, ainda há a presença do que pode-se considerar o “padrão Marvel”, com tiradas de humor inseridas em momentos certos e, surpreendentemente, no desfecho da ameaça final. “Dr. Estranho” é uma das melhores estreias do estúdio, sendo coeso, competente e divertido. O ritmo nunca diminui e o tempo de projeção passa rápido. Enquanto a concorrência patina, a Marvel alça voos sempre mais altos.

Obs.: Não deixem de conferir as duas cenas pós créditos

Nota do CD:
[Rating: 4/5]

Sinopse: Doutor Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) é um bem sucedido e arrogante cirurgião de Nova York, que entra em desespero depois de sua carreira ser destruída por um acidente de carro que destrói suas mãos. Quando esgota seu dinheiro e opções, decide viajar ao Nepal em busca de uma cura espiritual, mas o que encontra abre sua mente de maneiras nunca imaginadas e o colocam no caminho para tornar o Mago Supremo da Marvel.

Trailer do Filme:

Ficha Técnica:
Gênero: Ação
Direção: Scott Derrickson
Roteiro: Jon Spaihts, Joshua Oppenheimer, Thomas Dean Donnelly
Elenco: Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Mads Mikkelsen, Rachel McAdams, Tilda Swinton
Produção: Kevin Feige
Fotografia: Wyatt Smith
Trilha Sonora: Christopher Young
Duração: 115 min.
Ano: 2016
País: Estados Unidos
Cor: Colorido
Estreia: 03/11/2016 (Brasil)
Distribuidora: Walt Disney Pictures
Estúdio: Marvel Studios
Classificação: 12 anos

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Categoria: Detalhando, Em Cartaz, Heróis, Resenhas de Filmes, Tiago Britto

Sobre o autor ()

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This Colorations Regarding Nfl Jerseys Were Being Decorative
Hockey A Game Title Deserves Your Effort
Feel The Excitement Of No Matter What Sports Programming
How Purchase Authentic Jerseys Online
Mlb Jerseys: Buy Ahead Of When The Next Season
You Could Never Dream You Can Buy Cheap Mlb Jerseys
Famous Players In American Football
Show Your Support By Wearing Steelers Jerseys
Dog Clothes For The Faculty Or Sports Fan
Buying Manufacturer New Soccer Jerseys As A Present For Yourself
cheap jerseys
wholesale jerseys
cheap nfl jerseys
wholesale jerseys
cheap nba jerseys
wholesale nba jerseys
nba jerseys cheap
cheap jerseys