cheap jerseys| wholesale jerseys| Cheap Jerseys Hot Sale For World Cup| Cheap NFL Jerseys Supply, Wholesale Jerseys China Free Shippi| Cheap authentic jerseys,Wholesale jerseys Quality Cheap Jerseys| Cheap China Jerseys From China Wholesale NFL Jerseys Free Shipping| Wholesale NFL Nike Jerseys Free Shipping For Sale Cheap | cheap jerseys from china:wholesale jerseys free shipping| Cheap China Jerseys From China Wholesale NFL Jerseys Free Shipping| NFL Jerseys China: Authentic Quality Cheap Jerseys

Florence – Quem é essa mulher?

260x365_1467039956

Com tantos elogios recebidos, pela crítica americana, “Florence – Quem é essa mulher?” chegou aos solos brasileiros rodeado de expectativas. Afinal, além disso, a obra é protagonizada por, ninguém menos que, Meryl Streep (A Dama de Ferro, Simplesmente Complicado), e o elenco de apoio é formado por Simon Helberg, conhecido pelo papel de Howard Wolowitz em The Big Bang Theory, e Hugh Grant (A Viagem, Piratas Pirados!) , que juntamente a protagonista, está tendo o nome ventilado a uma possível indicação ao Oscar 2017. Um fato curioso, em torno da obra dirigida por Stephen Frears (Philomena), é que, uma produção francesa, Marguerite, que estreou no Brasil apenas duas semanas antes desta, também foca na mesma narrativa, o que permitiu muitas comparações, com uma grande divisão da preferência do público, que via na obra americana mais verossimilhança com a realidade, mas na francesa, um trabalho mais coeso e interessante.

A trama gira em torno de Florence Foster Jenkins, uma rica senhora apaixonada por arte e música, que é dona de um clube renomado, onde faz apresentações para a mais alta cúpula da sociedade. Mesmo sem nenhum talento, Florence acredita ser um exímia cantora e sonha em cantar no Carnegie Hall. Sua ilusão, se dava ao trabalho meticuloso do seu marido, que só convidava para suas apresentações, pessoas incapazes de falar mal e os críticos interessados em manter boas relações com uma pessoa de extrema influência na cidade.

Em um primeiro momento a obra agrada, principalmente pelo bom trabalho de Meryl Streep fazendo o papel de Florence. A atriz consegue dar o tom correto a personagem, imprimindo um bom ritmo de humo e não deixando tudo descambar para o lado do ridículo. Acreditem quando digo que isso era algo muito difícil de se conseguir. O problema é que as risadas proporcionadas na primeira apresentação, terminam sendo deixadas de lado ao longo da projeção, com ela soando repetitiva e cansativa no final. Podemos dizer, então, que “Florence – Quem é essa mulher?” é um filme de uma piada só.

Hugh Grant entrega uma atuação também muito interessante e segura, sendo, algumas vezes, até mesmo o ponto mais interessante da obra. Seu personagem é dúbio e ilusório, causando no espectador ao mesmo tempo sinergia e desprezo. A forma com que ele lida, por exemplo, com o seu casamento é extremamente inusual, porém deixa todos os envolvidos com algum tipo de dúvida do seu sentimento. Ele ama sua esposa e faz tudo por ela, mas não se priva de viver as coisas que ela não é capaz de lhe proporcionar. Simon Helberg também faz um bom trabalho, mas termina sendo ofuscado pela dupla já mencionada. Seu pianista de falas baixas e timidez notável, não deixa de ser orgulhoso e interessante.

A tentativa final de emocionar não funciona corretamente, pois, apesar da imagem inocente e doce apresentada, Florence não consegue cativar o público ao ponto de causar algum tipo de reação a um desfecho, extremamente, previsível. Faltou um pouco de tato na direção de Stephen Frears na maneira escolhida para sair do humor pastelão para o drama emocionante, o que transforma “Florence – Quem é essa mulher?” em uma obra com potencial, mas meramente mediana. Meryl Streep e Hugh Grant, merecem elogios, mas indicação ao Oscar considero ser demais. Ao Globo de Ouro, porém, pode ser justo nas categorias especializadas de comédia.

Nota do CD:
[rating: 2.5/5]

Sinopse: Florence Foster Jenkins é uma nova iorquina herdeira de uma grande fortuna cujo sonho é ser uma grande cantora de ópera, entretanto, ao contrário do que pensa, ela tem uma péssima voz. St. Clair Bayfield tenta protegê-la, mas depois de um concerto desastroso sua carreira ficará em perigo.

Trailer do Filme:

Ficha Técnica:
Gênero: Drama
Direção: Stephen Frears
Roteiro: Nicholas Martin
Elenco: Christian McKay, Danny Mahoney, Dar Dash, David Haig, David Menkin, Dilyana Bouklieva, Elliot Levey, Greg Lockett, Hugh Grant, James Sobol Kelly, John Kavanagh, Jorge Leon Martinez, Josh O’Connor, Liza Ross, Marie Borg, Mark Arnold, Martin Bratanov, Martyn Mayger, Meryl Streep, Neve Gachev, Nina Arianda, Paola Dionisotti, Phelim Kelly, Philip Gascoyne, Philip Rosch, Rebecca Ferguson, Rosy Benjamin, Sid Phoenix, Simon Helberg, Solomon Taiwo Justified, Stephanie Lane, Tony Paul West
Produção: Michael Kuhn, Tracey Seaward
Fotografia: Danny Cohen
Montador: Valerio Bonelli
Trilha Sonora: Alexandre Desplat
Duração: 110 min.
Ano: 2016
País: Estados Unidos
Cor: Colorido
Estreia: 07/07/2016 (Brasil)
Distribuidora: Imagem Filmes
Estúdio: BBC Films / Pathé / Pathé Pictures International / Qwerty Films
Classificação: 10 anos

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Categoria: Comédia, Resenhas de Filmes, Tiago Britto

Sobre o autor ()

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *