cheap jerseys| wholesale jerseys| Cheap Jerseys Hot Sale For World Cup| Cheap NFL Jerseys Supply, Wholesale Jerseys China Free Shippi| Cheap authentic jerseys,Wholesale jerseys Quality Cheap Jerseys| Cheap China Jerseys From China Wholesale NFL Jerseys Free Shipping| Wholesale NFL Nike Jerseys Free Shipping For Sale Cheap | cheap jerseys from china:wholesale jerseys free shipping| Cheap China Jerseys From China Wholesale NFL Jerseys Free Shipping| NFL Jerseys China: Authentic Quality Cheap Jerseys

Decisão de Risco

DECISAO-DE-RISCO

Decisão de Risco ficou marcado como o último trabalho de Alan Rickman, que morreu na luta contra o câncer em 14 de janeiro de 2016. O ator ficou famoso por ter interpretado Severus Snape na franquia Harry Potter, mas também tinha feito ótimos trabalhos em filmes como Perfume: A História de um Assassino, Duro de matar e Simplesmente Amor. Essa informação, sem dúvidas, cria todo um laço sentimental para os amantes do cinema, porém mais do que isso a película faz jus a bastante elogios, tendo como o ponto mais interessante o fato de que apesar de sabermos não se tratar de uma história baseada em fatos reais, ela pode acontecer ou ter acontecido por diversas vezes, sem o conhecimento da população mundial. O grande dilema da produção é bastante simples: Você sacrificaria a vida de uma criança inocente em prol da salvação de outras oitenta pessoas, que estão sob risco de um ataque suicida?

A trama propõe que três terroristas estão realizando uma reunião em Nairobi, no Quênia, sendo um deles uma britânica convertida que está sendo monitorada à seis anos pela inteligência inglesa. A coronel Katherine Powell (Helen Mirren) e o general Frank Benson (Alan Rickman) são os encarregados pela missão de guerra e estão acompanhando, em conjunto com a inteligência estadunidense, todos os passos desta reunião através de um drone. O objetivo seria uma operação de captura, mas ao perceberem a presença de dois homens bombas e a possibilidade de um eminente atentado, os planos mudaram e o foco passou a ser o assassinato dos alvos. O grande problema em questão é que a explosão da casa em que eles estão ocasionaria não somente na suas mortes, mas também colocaria em risco a vida de uma garotinha que está vendendo pão nas redondeza dos local de impacto.

O longa sugere mostrar o quão avançado estão os esforços das nações mais ricas em utilizar-se da tecnologia para evitar a exposição de seres humanos em operações de guerra. Esse por sinal é um ponto muito bem aproveitado pelo diretor Gavin Hood, que utiliza imagens destes equipamentos para apresentar toda a tensão da operação. Hora enxergamos através do avião-drone que está no céu, hora através de uma câmera em formato de pássaro na entrada da casa, também através de uma câmera em formato de besouro, que sobrevoa por dentro da casa. Essa sacada, atrelada a uma montagem muito eficaz permite ao espectador entrar no clima da operação e agir e pensar conforme os personagens, que estão diante de uma situação extremamente delicada.

O roteiro, que pode parecer se bem simplista na sinopse apresentada, não poupa o espectador do debate verdadeiro do momento. Há realmente uma exposição completa do jogo de interesses, que envolve aqueles que estão preocupados com a guerra da imagem ou o impacto que poderá acarretar matar uma criança conscientemente em uma operação de guerra, bem como aqueles que querem a todo custo explodir a casa e evitar um atentado terrorista maior. Nesse jogo de interesses são jogados em cena diversos personagens de cargos importantes e o quanto é tenso e complicado tomar uma decisão dessa magnitude. O processo burocrático é imenso, com pessoas sendo consultadas através do mundo, cálculos de danos sendo feitos, refeitos e repensados.

Não pense você que por estamos falando de uma guerra sem grande movimentação campal, apesar dela existir, mas em menor escala, que estamos diante de uma obra monótona ou de ritmo lento. Decisão de Risco é alucinante desde o seu primeiro minuto e chega a ter um momento em que estamos acompanhando quatro ou cinco núcleos pelo mundo afora, com todos dando opiniões e mudando de conceitos a medida que as coisas vão acontecendo. Outro aspecto que auxilia na criação da tensão necessária para o sucesso do thriller é a atuação dos atores. Helen Mirren (Red 2 – Aposentados e Mais Perigosos , Hitchcock) mais uma vez se destaca, sendo fria e calculista para tomar decisões de guerra, mas ansiosa e angustiada para obter ou não a autorização para executar seu plano. Aaron Paul (Need For Speed , Breaking Bad) é outro que consegue cativar o público, mesmo tendo menos tempo de tela do que os demais, seus olhos ressaltam a tensão necessária e o peso e responsabilidade da pessoa que deverá disparar o míssil que irá encerrar a operação. O ator comove, contagia e causa reflexão em quem assiste.

Decisão de Risco é uma daquelas obras de prender a atenção do espectador durante toda sua projeção. Possui um final poderoso, mas que de certa forma poderia ter causado mais impacto. Confesso que esperava sair do filme com um sentimento mais carregado, mas sai pensativo e mantendo meus princípios coerentes com os rumos da película.

Nota do CD:
[rating: 4.5/5]

Sinopse:
A coronel Katherine Powell (Helen Mirren), oficial que está comendando um operação para capturar um terroristas no Quênia, vê sua missão se agravar quando uma garota entra na zona de matança, desencadeando uma disputa internacional sobre as implicações da guerra moderna.

Trailer do Filme:

Ficha Técnica:
Gênero: Drama
Direção: Gavin Hood
Roteiro: Guy Hibbert
Elenco: Aaron Paul, Abdi Mohamed Osman, Abdilatief Takow, Abdullah Hassan, Ahmed Mohamed Ali, Aisha Takow, Alan Rickman, Alex Gallafent, Ali Mohamed, Andrew Ahula, Armaan Haggio, Armand Aucamp, Babou Ceesay, Barkhad Abdi, Bob Chappell, Bronson Mwangi, Carl Beukes, Chaltu Ahmed, Daniel Fox, Dek Hassan, Dileef Rahim, Ebby Weyime, Ed Suter, Faisa Hassan, Fatima Mohamed Mohamud, Fatumo Sheknoor Ali, Fowzia Dahir, Francis Chouler, Gabriella Pinto, Gavin Hood, Graham Hopkins, Hamdi Adam Shire, Helen Mirren, Henry Pilime, Hilowli Hassan, Hossain Dahir, Iain Glen, Istar Takow, James Alexander Hill, Jeremy Northam, Jessica Jones, John Heffernan, Kate Liquorish, Kenneth Fok, Kim Engelbrecht, Laila Robins, Lemogang Tsipa, Lex King, Luke Tyler, Ma Mohamed, Meganne Young, Michael O’Keefe, Mohamed Abdirahmaan, Mohamed Fidow, Mohammed Ali Sahra, Mondé Sibisi, Monica Dolan, Omar Abu Kadir, Paul Spauling, Phoebe Fox, Richard McCabe, Richard Stephenson, Robert Omache, Roberto Meyer, Sabrina Hassan, Sammy Maina, Sandile Ntobla, Sonia Esguiera, Thelma Mabina, Timayare Shamso Hassan, Tylan Wray, Tyrone Keogh, Vusi Kunene, Warren Masemola, Zak Rowlands
Produção: Colin Firth, David Lancaster, Ged Doherty
Fotografia: Haris Zambarloukos
Montador: Megan Gill
Trilha Sonora: Mark Kilian, Paul Hepker
Duração: 102 min.
Ano: 2015
País: Estados Unidos
Cor: Colorido
Estreia: 07/04/2016 (Brasil)
Distribuidora: Paris Filmes
Estúdio: eOne Films
Classificação: 14 anos

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Categoria: Resenhas de Filmes, Thriller, Tiago Britto

Sobre o autor ()

Comentários (1)

Trackback URL | Comentários de RSS Feed

  1. Alexandre Figueiredo disse:

    Me senti dentro do filme; tenso e opinando também. Desgrudar do sofá é impossível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *