wholesale nfl jerseys
authentic cheap nfl jerseys

Better Call Saul – Primeira Temporada

Quando o advogado Saul Goodman apareceu pela primeira vez num episódio da segunda temporada de Breaking Bad, ele era basicamente uma caricatura. Vestido com roupas berrantes e estrelando um comercial bizarro na TV, ele representava o estereótipo supremo do advogado corrupto na mente de Peter Gould, o roteirista daquele episódio em particular, e de Vince Gilligan, o criador do seriado. Era o trambiqueiro-mor, uma figura feita para acabar com todos os demais trambiqueiros. Com o tempo, Saul virou um personagem interessante, um pouco mais humano e um dos mais queridos da série, mas ele nunca deixou de ser completamente caricatural.

Depois de todo o sucesso e aclamação – merecidíssimos – de Breaking Bad, Gould e Gilligan se reuniram e perceberam que ainda havia algo a se explorar dentro da história de Saul Goodman. Então nasceu Better Call Saul, uma série ambientada antes de Breaking Bad dedicada a essa figura tão curiosa. Prequels sempre atraem desconfiança e antes do lançamento, muitos se perguntaram se Saul podia sustentar sua própria série. Porém, não é que Gilligan e Gould conseguiram criar um projeto interessante? Um seriado que ao mesmo tempo dialoga com seu irmão mais famoso e o complementa, e também demonstra ter capacidade suficiente para ter vida própria.

O primeiro episódio abre com um prólogo em preto-e-branco desolador que enfoca rapidamente um pouco da vida de Saul após os eventos do final de Breaking Bad. Paranoico e trabalhando numa lanchonete, ele passa suas noites revendo velhas fitas de vídeo com seus antigos comerciais gravados… Então voltamos alguns anos no tempo e logo reconhecemos a velha Albuquerque de Breaking Bad, retratada como um purgatório de calor opressivo, pessoas sufocadas e vastos espaços abertos.

É numa sala de júri que encontramos Saul, quando ele ainda era Jimmy McGill – e Bob Odenkirk retorna ao papel como se o tempo não tivesse passado. Outra fita de vídeo revela ao júri detalhes de um crime chocante, e o pobre Jimmy faz o que pode para livrar seus clientes da enrascada. Ele anda por aí num carro amarelo velho e barulhento, seu escritório – e casa – fica na parte de trás de um salão de manicure, e regularmente ele visita seu irmão Chuck (o sempre ótimo Michael McKean, a quem Gilligan conheceu nos seus dias de Arquivo X). Chuck sofre de uma estranha aversão a aparelhos elétricos e precisa de ajuda. Ah, e o vigia da guarita onde Jimmy estaciona seu carro é um senhor implicante e sério, ninguém menos do que o Mike de Breaking Bad (Jonathan Banks).

Ao longo da temporada vemos Jimmy batalhando para fazer seu nome e ser notado frente à concorrência da firma de advocacia onde Chuck trabalhava, a Hamlin Hamlin & McGill, HHM. O vemos também armando um pequeno trambique que acaba rendendo uma participação inesperada de um velho conhecido de Breaking Bad logo no início. O retorno desse personagem, apesar de divertido, deixa no ar uma impressão de que Better Call Saul acabará sendo muito dependente da outra série. Felizmente, os roteiristas e produtores rapidamente revertem essa expectativa e se esforçam para trilhar seu próprio caminho com o decorrer dos episódios.

E a jornada de Jimmy é o maior diferencial aqui. Surpreendentemente, ele é mostrado como alguém que, no fundo, é uma boa pessoa, ele só não consegue uma chance. Ele luta para salvar um casal de clientes em potencial e em dado momento, se vê frente a uma pequena fortuna, a qual ele decide devolver – “preciso fazer o que é certo”, ele diz a Mike, um eventual parceiro.

Mike é outro grande elo com Breaking Bad, e um dos melhores episódios de Better Call Saul é o sexto, Five O. Trata-se basicamente de uma hora dedicada a Mike e sua história trágica, e na qual Saul vira coadjuvante aparecendo apenas em poucos minutos. Banks é, como sempre, sensacional no papel, e seu monólogo na cena final do episódio deve render ao ator algumas indicações a prêmios…

Há outras referências à série de Walter White ao longo dos episódios, mas tirando a aparição surpresa na primeira hora, as demais são mais sutis, como o comentário direcionado a Mike sobre as tarântulas que vivem no deserto do Novo México, ou a piada envolvendo Kevin Costner, mencionada por Saul em Breaking Bad… Muitos dos membros da equipe de Better Call Saul trabalharam na série anterior e esta nova produção continua tão estilizada quanto Breaking Bad: não há nenhum momento desperdiçado em nenhum dos episódios e sempre há alguma coisa interessante acontecendo visualmente. Dois momentos de estilo se destacam: a lixeira filmada em primeiro plano, gigantesca, na qual Jimmy descarrega suas frustrações em Uno, o primeiro episódio; e a sequencia sem diálogos na qual Mike espiona e invade uma casa em Bingo, o sétimo.

Porém, a caracterização dos personagens e as atuações são tão importantes quanto o estilo. É um prazer ver Odenkirk e McKean atuando juntos – e quem diria que o primeiro podia ser tão eficiente como ator dramático? E o relacionamento entre Jimmy e Chuck é primordial para a temporada e para a evolução do personagem. Os atores tornam esse relacionamento tocante, o que de certa forma amplifica a tragédia da série.

Sim, apesar do humor, Better Call Saul é, assim como Breaking Bad, uma tragédia. Sabemos o que vai acontecer com Jimmy, e é notável a forma como os roteiristas usam as expectativas do publico a seu favor. Mas não sabemos como, ou porque, ele chegará a esse destino. A transformação dele é de advogado criminal a advogado “criminoso”. Apesar de ser esforçado e uma boa pessoa, o destino dele é deixar de ser humano, deixar de ter escrúpulos, deixar de “fazer o que é certo”. Ele vai se transformar naquela caricatura chamada Saul Goodman, cujo nome é uma corruptela da expressão em inglês “it’s all good, man” (está tudo bem, cara). Vê-lo percorrer esse caminho promete ser uma experiência tão engraçada quanto dramática. E de novo, Vince Gilligan, Peter Gould e seus roteiristas transformam Albuquerque num teatro grego. Só que agora também nos relembram o quanto a tragédia está próxima da comédia.

Nota do CD:
[rating:4/5]
Nota dos Leitores:
[kkstarratings]

Trailer:

Tags: , , , , , , , ,

Categoria: Comédia, Drama, Ivanildo Pereira, Muito Bom, Resenhas de Seriados

Sobre o autor ()

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

How Soon Will Sponsorship Logos Displayed On Nfl Nhl Jerseys?
Nothing Wrong With Logos On Wnba Jerseys
Why Definitely Collect Hockey Jerseys
Buying The Least Expensive Nfl Jerseys
Kitbag Ltd - The Can Find All Your Football And Sports Merchandise Needs
Buying Least Expensive Nfl Jerseys
Suggestions For About A Football Fan To Decorate Football-Themed Room
The Perfect Gift For A Sports Activities Fanatic
Ravens Helped The Jaguars To Absolve The Five Game Losing Streak
Mlb Dog Clothes For The Ultimate Sports Fan
cheap jerseys
wholesale jerseys
cheap nfl jerseys
wholesale jerseys
cheap nba jerseys
wholesale nba jerseys
nba jerseys cheap
cheap jerseys