Resenha do filme: “A Lista de Schindler” (1993)

a lista

Um filme simplesmente sensacional! Seja pela sua história, ou pela sua fotografia, ou pelas atuações fantásticas que os protagonistas desempenham, mas sem dúvida, é um filme para ser visto e revisto!

A filme conta a história controversa de Oskar Schindler (Liam Neeson – atuação perfeita), típico fanfarrão, simpatizante do nazismo, rico, mas que pela sua extrema solidariedade para com o ser humano, é capaz de “perder” toda a sua fortuna, em prol de salvar mais de mil judeus dos campos de concentração.

Schindler usava a sua fortuna para comprar tudo que bem entendia: mulheres, bebida, bens, produtos no mercado negro, além de pessoas do alto escalão da Gestapo. Em uma dessas transações, ele conhece Itzhak Stern, um contador judeu, que lhe convence de que a mão de obra judia é a melhor e mais barata que ele pode conseguir. A partir daí, Schindler passa a contratar judeus para trabalhar com ele. Logo depois, a guerra eclode ainda mais, e Hitler lança a campanha “Solução Final”, cujo objetivo era acabar de vez com os guetos. Em vista de perder a sua mão de obra barata, Schidler, faz um acordo que os seus funcionários sejam colocados em um local mais seguro. Porém, a sua versão humana fala mais alto, quando em visita a um dos campos de extermínio, onde presencia a real situação na qual estão os ditos “não arianos”, ele acaba fazendo a famosa “lista”, com a ajuda de Stern, onde constam os 1.100 nomes que comporiam a lista, Schindler viria a pagar um boa soma de dinheiro a Goeth (Amon Goeth comandante de Auschwitz, interpretado por Ralph Fiennes, em sua estréia no cinema), que tomaria as medidas necessárias para o que o desvio de rota fosse bem sucedido, levando os presos para a Tchecoslováquia e não para Auschwitz.

Schindler fundou a fábrica de utensílios de cozinha Emalia para enriquecer com a guerra. Nela empregou entre 1939 e 1944 muitas centenas de judeus. Eram a sua força de trabalho, empregados especializados, mesmo que não o fossem, não deixavam de ser escravos. Pensou, durante algum tempo, que bastava aos seus judeus e aos outros manterem-se saudáveis para chegarem ao fim da guerra vivos. Percebeu que não, depois percebeu que iam morrer todos e usou o que ganhara com eles para salvar alguns. Mais de mil. Schindler escreveu os seus nomes numa lista e deu-lhes vida” (FONTE: http://alistadeschindler.com/)

É bastante curioso ver a progressão do filme, permeando o personagem principal. Tudo começa com o jogo de interesse de Schidler, mas termina com a busca de salvar vidas, quando este se envolve de fato na situação, não podendo mais ser mantido de fora do problema. E esse é um dos grande trunfos de “A Lista de Schindler” a humanidade e realismo que são mostrados e traduzidos no filme.

A direção de Spilberg é primorosa, fazendo desde ângulos de câmera que fazem com que o espectador seja transportado para a sensibilidade da história, até o uso da cor, onde o p&b é inteiramente utilizado, tendo somente a cor vermelha – que simboliza aí o sangue derramado, além de transmitir a vibração da vida, que é tirada dos judeus – em uma única tomada, sendo apenas um detalhe, mas que faz toda a diferença, tanto na trama, quanto no decorrer do filme, ao mostrar a menininha do vestido vermelho, que mostra a  perfeita fusão de som, imagem, música (John Williams). O diretor ainda salienta que o não uso de cores, foi proposital para que fosse mais suportável ver uma história tão violenta.

O roteiro de Steven Zaillian traduz uma época cruel da humanidade, com fidelidade à época, e sem deixar de ter o “que” de entretenimento, traduzido nas 3 horas de duração do longa.

Nos anos 80, a direção do longa foi oferecida a Martin Scorsese, mas que acabou recusando por achar que seria melhor um diretor judeu assumir esse posto. Em termos de locação, o então diretor Steven Spilberg, não teve autorização para filmar em Auschwitz, o que fez com que as filmagens tenham sido feitas em estúdio, porém recriando fielmente o local real dos acontecimentos.

O filme conquistou os Oscars de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte, Melhor Edição e ainda foi  indicado aos de Melhor Ator (Lian Neeson), Ator Coadjuvante (Ralph Fiennes), Figurino, Maquiagem e Edição de Som.

”Aquele que salva uma pessoa, salva o mundo inteiro” . E foi assim que o mundo foi tocado pela luta e corrida contra o tempo de um empresário, que tocado pelo horror da guerra salvou muitas vidas.

Nota do CD:
★★★★★

Sinopse:
O alemão Oskar Schindler (Liam Neeson) decide usar mão-de-obra judia para abrir uma fábrica na Polônia. Testemunha do massacre aos judeus durante a Segunda Guerra, ele faz da fábrica um refúgio, salvando mais de mil vidas ameaçadas pelo nazismo. Mas para isso é preciso desafiar o regime.

Trailer do Filme:

Ficha Técnica:
Gênero: Drama
Direção: Steven Spielberg
Roteiro: Steve Zaillian
Elenco: Adam Siemion, Adi Nitzan, Agnieszka Korzeniowska, Agnieszka Krukówna, Agnieszka Wagner, Albert Misak, Aldona Grochal, Alexander Buczolich, Alexander Strobele, Alicja Kubaszewska, Andrzej Seweryn, Andrzej Welminski, Anemona Knut, Anna Mucha, Artus Maria Matthiessen, August Schmölzer, Beata Deskur, Beata Paluch, Beata Rybotycka, Béatrice Macola, Ben Kingsley, Bettina Kupfer, Branko Lustig, Caroline Goodall, Daniel Del Ponte, Danny Marcu, Dariusz Szymaniak, Dieter Witting, Dirk Bender, Dominika Bednarczyk, Dorit Seadia, Edward Linde-Lubaszenko, Elina Lowensohn, Embeth Davidtz, Erwin Leder, Esti Yerushalmi, Etl Szyc, Eugeniusz Priwieziencew, Ewa Kolasinska, Ezra Dagan, Friedrich von Thun, Geno Lechner, Georges Kern, Gerald Alexander Held, Götz Otto, Grzegorz Damiecki, Grzegorz Kwas, Hanna Kossowska, Hans Rosner, Hans-Jörg Assmann, Hans-Michael Rehberg, Harry Nehring, Haymon Maria Buttinger, Henryk Bista, Hubert Kramar, Jacek Lenczowski, Jacek Pulanecki, Jacek Wójcicki, Jan Jurewicz, Jeremy Flynn, Jerzy Nowak, Jerzy Sagan, Joachim Paul Assböck, Jochen Nickel, Jonathan Sagall, Krzysztof Luft, Lech Niebielski, Leopold Kozlowski, Liam Neeson, Lidia Wyrobiec-Bank, Lucyna Zabawa, Ludger Pistor, Maciej Kozlowski, Maciej Orlos, Maciej Winkler, Magdalena Dandourian, Magdalena Komornicka, Maja Ostaszewska, Malgorzata Gebel, Marcin Grzymowicz, Marek Wrona, Marian Glinka, Mark Ivanir, Martin S. Bergmann, Martin Semmelrogge, Michael Gordon, Michael Schiller, Michael Schneider, Michael Z. Hoffmann, Miri Fabian, Norbert Weisser, Olaf Lubaszenko, Oliwia Dabrowska, Osman Ragheb, Pawel Delag, Peter Appiano, Peter Flechtner, Piotr Cyrwus, Piotr Kadlcik, Piotr Polk, Radoslaw Krzyzowski, Ralph Fiennes, Rami Heuberger, Ravit Ferera, Razia Israeli, Ruth Farhi, Ryszard Radwanski, Sebastian Konrad, Sebastian Skalski, Shabtai Konorti, Shmuel Levy, Sigurd Bemme, Slawomir Holland, Stanislaw Brejdygant, Stanislaw Koczanowicz, Tadeusz Bradecki, Tadeusz Huk, Thomas Morris, Tomasz Dedek, Uri Avrahami, Vili Matula, Wieslaw Komasa, Wilhelm Manske, Wojciech Klata, Wolfgang Seidenberg, Zbigniew Kozlowski
Produção: Branko Lustig, Gerald R. Molen, Steven Spielberg
Fotografia: Janusz Kaminski
Trilha Sonora: John Williams
Duração: 195 min.
Ano: 1993
País: Estados Unidos
Cor: Colorido
Estúdio: Amblin Entertainment / Universal Studios
Informação complementar: Baseado em uma história real e adaptado do livro Schindler’s Ark, de Thomas Keneally

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tags: ,

Categoria: Box-Colunas, Excelente, Ticiana Araujo, Um Dia Concorri ao Oscar

Sobre o autor ()

Comentários (21)

Trackback URL | Comentários de RSS Feed

  1. Norma vaz disse:

    Filme maravilhoso, retrata muito bem Holocausto.Ele foi filmado em preto e branco Devido as cenas , fortes e mostra luto. Este foi um dos maiores massacres que a humanidade sofreu.Este sr.que salva mais ou menos q
    1200 judeus, era homem ruim mais que sr sensibilou com os fatos abdcando de toda sua fortuna.

  2. Mendes disse:

    esse filme é uma porcaria sótem besteira

  3. Rosana lecto disse:

    Eu amei principalmente por ser em preto e branco, é de uma genialidade incrível só mesmo Steven Spielberg para colocar uma garotinha de casaco vermelho em um filme preto e branco pra chamar atenção sobre o terror que Hitler causou a esse povo, assistir varias vezes que já perdi a conta , mais o sentimento é sempre o mesmo, de como se eu tivesse perdido parentes bem próximos como pai mãe irmãos e as vezes me traz muita melancolia.

  4. Layane Frandin disse:

    Tenho 13 anos e nunca tinha ouvido falar sobre esse filme, até a minha professora de português pedir um trabalho sobre ele !! Eu assisti e achei espetacular, amei mesmo esse filme, principalmente porque fala sobre a segunda Guerra Mundial e sobre os judeus, fiquei impressionada com a bondade do Schindler !! Muito bom esse filme.

  5. eu adoreiiii tudo esse filme que fantastico

  6. Nany disse:

    É u absurdo certos comentários aqui.nossa o filme é um clássico ,esses adolescentes sequelados so falam “Merda” como isso não existiu animal ??? deve ser por que vc so fica no facebook ,joga video game, fuma maconha e ouve funk. para falar merda melhor calar a boca !!!

  7. Amanda Maria disse:

    Esse filme é muito antigo , pois nenhum adolescente irá gostar mesmo. É um filme em preto e branco ou seja chato !
    Mas também , vale a pena ver porque foi um terrorismo da época !
    Serve para tocar seus corações

  8. vitória disse:

    gostei muito do filme,e as pessoas que dizer ser um lixo e não ser baseado em fatos reais,por favor procure informações e não escreva sobre algo que você não sabe…

  9. Luciana Rosa disse:

    … o filme eh baseado em guerra e eu gostei bastante…. e eu sou contra os nazista

  10. Gaby da Silva disse:

    … o filme eh baseado em fatos reais e apesar de ter muitas senas de mortes exploramento o filme foi muito legal

  11. ana paula disse:

    o filme eh muito triste… e tem as vezes partes romanticas… e muita tragedia

  12. joao disse:

    O filme em si só é um lixo, senão bastasse ainda conta uma historia que nunca aconteceu

    • kainã eduardo disse:

      o filme eh baseado em fatos reais sim e quem falo q o filme nao eh baseado é pk nao assintiu o filme

    • Tainá disse:

      Querido Joao, o filme é sim baseado em uma historia real (caso voce nao tenha notado no final do filme).

    • L. disse:

      Nunca aconteceu? Então quer dizer que a Segunda Guerra Mundial, o extermínio dos judeus, a superioridade de Hitler é um mito? Acho que se você perguntar a alguém com uma idade de mais ou menos 80 anos, ela vai saber realmente lhe dizer se essa história nunca aconteceu. E se você pesquisar na internet ou livros vai encontrar a lista real de Shindler, com isso posso afirmar, o filme é ótimo e retrata muito bem a REALIDADE DE 1939 a 1945.

    • josue disse:

      ai mano pega um livro de historia e leia sobre 1º e 2º Guerra Mundial, Fascismo, Nazismo, Ditadura Militar estude bastante ai depois você fala se a historia aconteceu ou não. lembrando que vc no minimo teve aulas de historia, procure seu professor(a) e vá estudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *